Make your own free website on Tripod.com

literatura cubista

 

Guillaume Apollinaire, As Mamas de Tirésias

(...)

"Teresa

Quero ser soldado um dois um dois

Quero ir para a guerra – (trovão ) – e não ter mais filhos

Não senhor meu marido não mandará mais em mim

(curva-se três vezes de costas para o público )

(no megafone )

Não será porque me fez a corte em Connecticut

Que lhe quero fazer a comida em Zanzibar

Voz do marido

(sotaque belga )

Quero toucinho já disse toucinho

(louça quebrada )

Teresa

Estão ouvindo

ele só pensa em amor

(tem uma crise de nervos )

Mas não desconfia imbecil

(espirro )

Que depois de soldado quero ser artista

(espirro )

Perfeitamente perfeitamente

(espirro )

Quero também ser deputado advogado senador

(dois espirros )

Presidente da república

(espirro )

E quero como médico do físico ou do psíquico

Perambular à vontade pela Europa e a Martinica

Pois ter filhos cozinhar é uma coisa impudica

(cacarejo )

Quero ser matemático filósofo analista

Garçom nos restaurantes telegrafista

E se quiser manter num apartamento

Essa velha dançarina cheia de talento

(espirro cacarejo )

(imita a seguir o ruído do trem )

Voz do marido

(sotaque belga )

Quero toucinho já disse quero toucinho

Teresa

Estão ouvindo

ele só pensa em amor

(pequena ária de gaita )

Pois cave o chão com o focinho

(bumbo )

Mas creio que minha barba está crescendo

Meus seios se desprendem

(dá um grande grito e entreabre a blusa,

de onde saem os seios, um vermelho

outro azul, que, soltos, se põem a voar

balões de crianças, presos por fios )

Voai pássaros da minha franqueza

Et Caetera

Como são lindas as iscas femininas

Que lindos

Tão cheios

Tão apetitosos

(faz dançar os balões, puxando-os pelos fios )

Mas chega de tolices

Deixemo-nos de aeronáutica

Há sempre alguma vantagem em praticar a virtude

O vício é afinal de contas uma coisa perigosa

Por isso é melhor sacrificar esta beleza

Que pode dar oportunidade ao pecado

Livremo-nos de nossas mamas

(acende um isqueiro e fá-las explodir; faz uma careta aos espectadores e atira-lhes as bolas que traz no sutiã )"

(...)